sexta-feira, dezembro 16, 2005

Sobre o Saci

Preto, corpo de criança, mão furada, espora de galo, barriga inchada, orelha de morcego, língua de palmo, carapuça vermelha, cachimbo e uma única perna cujo pé tem apenas três dedos. O saci gente-fina que a gente conhece do Sítio do Pica-Pau Amarelo parece ser uma visão particular que Monteiro Lobato tinha do mito. Quem ler algum livro de folclore brasileiro mais sério vai ter uma impressão diferente. Começando pela descrição acima, que não é muito agradável. Também pelo fato de que um dos métodos de se capturar o saci é "jogar um terço de reza" quando ele passar zunindo num redemoinho de vento. O duende fica enrolado no terço e não consegue se soltar, o que demonstra sua fraqueza por poderes sagrados, característica típica de seres malignos.
É um personagem nacional fantástico, que não fica atrás de nenhum gnomo ou gigante europeu.